O que os brasileiros esperam das marcas
Pesquisa Brand ID mapeia comportamento do consumidor
9 Dezembro 2010  |  11:33h
A - A +
Data:
Cidade:
Paulo Al-Assal
O consumidor brasileiro contemporâneo busca valores humanos nas marcas e tem a expectativa de construir um relacionamento  pautado pela transparência, honestidade, confiança, integridade, respeito e ética. O que permeia e complementa esse anseio é a tendêndia brandtocracies (democraria das marcas). A expectativa é de que as marcas sejam principalmente amigáveis e honestas. Contudo, 62% dos entrevistados mostram insatisfação ao afirmar que falta honestidade às marcas. Essas são algumas das conclusões da pesquisa inédita Brand ID, desenvolvida pela Voltage e Bridge Research - agência produtora de insights aplicáveis ao negócio; e empresa de pesquisa de mercado com foco na prestação de serviços de inteligência na área de tecnologia, respectivamente.

Inspirada no estudo inglês Brand Personality, conduzido pelo portal britânico The Future Laboratory, Brand ID traz um mapeamento completo da percepção que os brasileiros têm das marcas nacionais e internacionais de diversos segmentos, conciliando pesquisas quantitativas e qualitativas. Inédito, une dados sobre a percepção do consumidor contemporâneo - com um levantamento quantitativo - e projeta o futuro por meio de análises qualitativas de influenciadores e experts. Concluída em setembro de 2010, Brand ID contou com 1.200 entrevistas realizadas nas capitais (São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife e Brasília) com brasileiros das classes A (5%), B (38%) e C (57%) - sendo 60% de mulheres e 40% homens.

A pesquisa mostra diferenças interessantes entre o consumidor brasileiro e o europeu. Para a questão "o que mais inflencia na decisão de compra", 51% dos entrevistados no Brasil responderam que é a "relação custo-benefício dos produtos". Entre os europeus, esse percentual sobre para 81%, reflexo da crise financeira internacional. Vale destacar que não se trata de um custo alto ou baixo, mas do valor agregado à compra. O segundo quesito que mais influencia a decisão, para os brasileiros é que a marca seja "ética e ambiental e socialmente responsável", característica priorizada por apenas 12% dos entrevistados na Europa. "Esse é um dado realmente surpreendente", destaca Paulo Al-Assal, diretor-geral da Voltage.

A pesquisa revela, de forma clara, que o consumidor brasileiro busca valores humanos nas marcas, da mesma forma como busca estreitar o relacionamento com as pessoas que fazem parte do cotidiano. Do total de entrevistados, 45% esperam que as marcas sejam "amigas". E buscam informações sobre as marcas principalmente entre as pessoas em que mais confiam, "amigos e parentes": 70%.

E que importância têm as marcas na vida diária das pessoas? Na resposta a essa pergunta, associada ao comportamento do consumidor em geral, 52% afirmaram: "sou neutro em relação às marcas. Elas não ajudam nem prejudicam minhas decisões no dia a dia". "Isso significa que para mais da metade dos brasileiros as marcas não são tão importantes quanto achamos que são", diz Paulo Al-Assal. Os temas que têm maior valor na vida diária das pessoas são a saúde da família e o bem-estar, as mudanças climáticas, emprego e valores da comunidade.

 

Fonte:
Tags:
Comentários

As opiniões expressas nos comentários são de única e exclusiva responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião deste site. Comentários ofensivos ou que violem a legislação vigente serão suprimidos.


* seu e-mail não será publicado.

Enviar Comentário