Futuro promissor?
Geomarketing cresce, mas sua presença ainda é tímida se considerado o alto potencial, avalia professor do Labgis/UERJ
14 Agosto 2013  |  17:05h
A - A +
Data:
Cidade:
José Augusto Sapienza Ramos
O uso do geomarketing permite às empresas entenderem onde os clientes estão geograficamente e a descrição do perfil, como estrutura familiar, valores, padrão de deslocamento, poder e padrão de compra, etc. "Isso permite prospectar novos clientes ou gerenciar os atuais, inclusive realizando marketing direto e outras ações", afirma José Augusto Sapienza Ramos, professor e coordenador acadêmico do Sistema Labgis/UERJ. Essas vantagens vem fazendo o geomarketing crescer expressivamente, no entanto, a dimensão atual ainda é tímida frente ao alto potencial do mercado, segundo o professor. "No geral muitas empresas estão descobrindo os benefícios do geomarketing e avaliando as possíveis aplicações. Vejo hoje um aumento na quantidade de empresas especializadas em prestação de serviço para Geomarketing. Cresce também a lista de organizações que já contam em seus organogramas um setor destacado ao tema", conta Ramos.

Por dar apoio à tomada de decisão, o geomarketing pode ser aplicado em diversos campos de gestão dentro de uma empresa, segundo explica Ramos. "Podemos citar a gestão de uma rede de pontos de vendas analisando a cobertura e planejando a expansão, a logística de toda a cadeia produtiva, a gestão de vendas, entre outros. Usar geomarketing é colocar a geografia em pauta nos procedimentos da empresa onde o espaço se apresenta importante, trazendo como benefício o aumento de qualidade destes procedimentos por meio de uma análise mais completa", explica. Apesar disso, Ramos ressalta que só adotar a tecnologia não basta. "É necessário aprimorar os processos da empresa, principalmente a gestão, se valendo desta tecnologia. Só assim o real potencial do geomarketing será apropriado", afirma.

Na visão do professor, mesmo que sem perceber, muitas empresas usam geomarketing, ainda que basicamente, quando se tem uma análise que diz respeito a informações geográficas. "Por exemplo, quando segmentam uma análise em estados e municípios ou quando utilizam o Google Earth ou sistemas correlatos para observar a distribuição espacial dos seus pontos de venda. Todavia o geomarketing pode fazer muito mais do que dividir tabulações por divisões políticas ou apresentar pontos em mapas. É possível analisar e entender efetivamente a dinâmica espacial aplicando as técnicas devidas", reforça o professor.

Quando as empresas discutem como aplicar o geomarketing, segundo Ramos, se resumem a qual software utilizar e qual base de mapas digitais deve obter. Ele afirma a importância desses dois pontos, no entanto, chama a atenção para outra questão. "Analisar eficientemente o espaço geográfico para o negócio não envolve apenas ferramentas que geram relatórios e mapas, é necessário também entender o espaço sobre os conceitos do marketing e aplicá-los no processo de marketing da empresa, e isto chamamos de marketing espacial. Em avançadas equipes de geomarketing é comum termos profissionais de diversas formações como marketing, TI, geografia, estatística, demografia, entre outras. Essa integração multidisciplinar permite desvendar melhor os processos que ocorrem no complexo espaço geográfico", conclui.
Fonte:
Tags:
Comentários

As opiniões expressas nos comentários são de única e exclusiva responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião deste site. Comentários ofensivos ou que violem a legislação vigente serão suprimidos.


* seu e-mail não será publicado.

Enviar Comentário