Cliente sabe mesmo de seus direitos?
Em pesquisa, 66% mostraram não saber que há regras específicas para e-commerces
14 Março 2016  |  11:37h
Data:
Cidade:
Em 1985, foi oficializado pela ONU que o dia 15 março seria o Dia do Consumidor. E, hoje, é comemorado na internet com diversas promoções. Para descobrir o quanto os brasileiros estão por dentro dos seus direitos, o Cupons Mágicos, site de descontos, entrevistou cerca de 1.200 consumidores sobre questões que podem fazer a diferença na hora de escapar de um mau negócio online.  Segundo a pesquisa, o resultado mostra que os clientes sabem se defender nas compras online. No entanto, restam algumas dúvidas: 66% dos entrevistados acreditam que os direitos do consumidor são idênticos on e offline (o que não é verdade). 

O maior exemplo é o prazo de arrependimento - o período após a transação pela internet em que é possível cancelá-la. A maior parte, 74%, acertou a pergunta - são sete dias. Mas 17% afirmaram que era possível esperar 30 dias para tanto. "Esse é o detalhe que pode fazer diferença entre uma experiência de compra confortável e uma dor de cabeça para o consumidor", afirma Diana Marco, gerente do Cupons Mágicos. Ainda sobre o arrependimento, 60% não sabem que a loja fica responsável pelas despesas de devolução e 59% não têm ciência de que não é preciso dar nenhum tipo de justificativa sobre a decisão de não ficar com o item. 

"No varejo tradicional, o conhecimento é bem maior", diz Diana. E os números confirmam: 98,5% sabem que as lojas são obrigadas a detalhar informações sobre o produto. Assim como 92% acertaram sobre a necessidade de o estabelecimento declarar CPF ou CNPJ e endereço. Além disso, 93% conhecem a proibição de cobrar um valor maior do que o anunciado. Ainda, quase todos os entrevistados (99%) estão informados sobre o direito a reembolso ou troca quando há defeitos no produto adquirido.
Fonte:
Tags: